Liebster Award

19 de julho de 2017
A Mia do Wink me indicou pra essa tag e eu achei super legal :) 
Esse meme (ou uma versão dele) rola faz horas por aí e lá em 2012 eu respondi 2 vezes ele. Aqui e aqui. Eu tenho saudade da época em que meme era meme e não tag, então sigo chamando de meme OK.

11 fatos sobre mim
1. Gosto muito de programas sobre crimes, desde séries policiais à documentários sobre crimes reais. Aliás, se alguém puder me indicar alguma coisa, ia amar.
2. Falo muito palavrão apesar de fingir ser fina e educada aqui no blog.
3. Coloquei fora todos os meus diários da infância/adolescência em um momento que não estava  sentindo simpatia nenhuma pelo meu eu-sofredor e hoje me arrependo bastante - ia amar ler sobre a prima que era mais bonita que eu e o quanto meus pais queriam arruinar minha vida me obrigando a estudar SIM É VDD.
4. Eu quase nunca ouço música. Antes eu andava sempre com fone de ouvido e vivia procurando coisas novas pra ouvir e falando sobre isso. Sei lá, passou. Não que eu não goste de música, mas já fui tipo "nossa  música é minha vida" e hoje eu só ouço música no carro e só porque o rádio liga automaticamente.
5. Detesto folhas verdes, a única alface possível é a americana e tenho certeza que foi um demônio que mandou brotar rúcula na terra. Adoro todos os outros vegetais, no entanto.
6. Levanto a bandeira LGBT tão alto quanto a bandeira feminista. Sou hétero.
7. Sou bem chorona e já chorei vendo filmes absurdos como 4 Amigas e um Jeans Viajante. Também choro muito lendo livros e já chorei de emoção algumas vezes vendo casais de velhinhos na rua ou famílias felizes. Também já me peguei explicando pra pessoas na rua o motivo de eu estar chorando porque as pessoas te olham com cara de pena e ficam preocupadas e NÃO FÓI SÓ O DOBBY QUE MORREU CALMA GENTE (never forget). Não há limites para o ridículo.
8. Eu sou viciada em The Sims e já perdi metade da minha vida construindo casas naquele joguinho.
9. Adoro ver vídeos de espinhas sendo espremidas e a Dr. Pimple Popper é minha musa. É muito nojento, eu sei.
10. Passei por uns perrengues amorosos e desde então não consigo me relacionar direito com ninguém.
11. Se tivesse dinheiro infinito eu moraria num castelo no interior da França e passaria meus dias brincando com meus 30 cachorros, quero corgis mas também quero adotar pois sou altruísta, pintando paisagens e comprando antiguidades pra minha casa QUE SERIA UM CASTELO, Ñ ESQUEÇAM. Ser rica excêntrica - um sonho.

11 perguntas da Mia
1. Qual livro você gostaria de ter escrito?
Sei que muitas pessoas responderiam algo mais ~culto~ do que isso, mas eu vou ir de Harry Potter mesmo porque daí eu seria milionária e essa é basicamente a única razão e ainda quero aquele castelo na França. HOMEM PRIMATA CAPITALISMO SELVAGEM 

2. Você tem/teve animais de estimação? Conte uma história sobre ele ♥
Tenho um cachorro e já tive outros, inclusive dois coelhos. 
Beethoven foi meu primeiro cachorro e o nome dele não veio do compositor mas do filme do são bernardo. A gente morava numa casa num bairro bem residencial e ele muitas vezes ficava dando rolê pela rua sozinho durante horas - sempre voltava. Ele ficava latindo no portão até que alguém abrisse a porta pra ele. A vizinhança toda sabia que ele era nosso e, se alguém via ele ali na frente esperando pra entrar, apertava a campainha pra nos avisar e seguia o rumo. Um dia um amigo do meu pai estava lá em casa e a campainha tocou. Ele perguntou quem era e meu pai disse 'provavelmente o cachorro'. Era. Ele ficou abismado que o cachorro sabia tocar a campainha, que era meio que impossível um cachorro tocar, e meu pai, que tem o mesmo humor que eu, manteve a história :)

3. Você coleciona alguma coisa? O quê?
Corujas, unicórnios e duendes.

4. Qual é a história do nome do teu blog?
É o nome de um filme que gosto muito.

5. E a história do teu nome? Sabe por que teus pais te deram ele?
Por causa de um livro do Érico Veríssimo que minha mãe gostava muito. Tenho o livro dela até hoje.

6. Se você pudesse ressuscitar qualquer figura histórica da humanidade, qual seria?
Que pergunta difícil, cês sabiam que eu sou um zero à esquerda em história? Não sei nada que aconteceu antes de 1939, meus conhecimentos se limitam da 2a guerra mundial em diante e olhe lá. Antes disso é tudo um grande emaranhado de informações e coisas que eu não sei situar em em que época ou em que lugar aconteceram. Quando alguém começa a falar sobre história eu fico ali quietinha me perguntando coisas absurdas como: "será que isso foi antes ou depois de Cristo?" e "será que Maria Antonieta viveu na mesma época em que se passa o Corcunda de Notre Dame?" e eu sei a resposta para essa última pergunta porque eu realmente já me perguntei isso e acontece que NÃO, SÃO ÉPOCAS BEM DIFERENTES E TEM ALI QUASE 500 ANOS DE DISTÂNCIA, hihihi.
OU SEJA, EU PULO SILVIO.

7. Qual foi o último livro que você leu?
A tetralogia napolitana da Elena Ferrante. Maravilhoso, ainda tô me recuperando.

8. O que você mais tem escutado nos últimos tempos?
Pabllo Vitar porque sou basic.

9. Numa época de vlogs e newsletters, por que você ainda mantém um blog?
Por causa dos meus fãs eu não poderia abandoná-los UM BEIJO PRO MEU PÚBLICO

10. Se você pudesse trocar de lugar com qualquer personagem de livro, filme ou série, com quem trocaria?
Carrie Bradshaw porque seria maravilhoso ser uma escritora em Manhattan. Sem contar que cês já viram aquelas roupas? Eu mereço aquele armário.

11. Se sua vida fosse um filme quem seria o diretor?
Woody Allen. Um monte de diálogos intermináveis que não levam a lugar nenhum, nada de muito emocionante acontecendo e uma ou outra pequena tragédia pra tremer um pouco na base mas depois voltar tudo pro mesmo lugar - minha vida.

12. Você tem alguma pequena obsessão - por algum assunto, uma época, um personagem histórico...? Se sim, qual?
Sou obcecada por várias coisas, épocas e personagens históricos não sendo uma delas (vide desabafo ali em cima).

Amei a indicação, obrigada Mia!
SEND MEMES

obrigada pelo interesse na caixinha

15 de julho de 2017
Gente, hoje o blog faz 6 anos :)))))))
Juro que talvez esse blog seja a coisa mais constante na minha vida.
Eu sempre adorei blogs pessoais e acho que nunca vou deixar de gostar. Adoro ler sobre a vida das pessoas e também adoro compartilhar com gente que gosto coisas sobre minha vida. Essa troca de experiências e apoio mútuo que nossa ~comunidade~ preza é a parte incrível e o que fez eu continuar com isso aqui.
Mas eu também adoro voltar no tempo e reler tudo. São 6 anos da minha vida separados por categoria e organizados por data. No fundo, escrevo aqui pra mim, porque sei que vou querer lembrar disso, dessa época, dessa fase, dessa vida. Porque daqui a pouco a vida já é outra, eu sou outra. Aliás, não sou mais nem aquela de 6 anos atrás. Meu eu de 27 anos é muito diferente do meu eu de 21, que começou esse blog. Eu volto lá em 2011 e fico encantada com como tudo mudou e como eu mudei. Como tudo é inconstante ao mesmo tempo que é constante, porque se vocês forem lá ver o que eu falei no primeiro post do blog vocês vão ver que eu não disse nada muito diferente do que tô dizendo agora.
Também é porque eu escrevo pra mim que às vezes isso aqui fica às moscas. Eu posto aqui quando dá na telha. Nem sempre eu tenho algo bom pra dizer, nem sempre eu estou me sentindo feliz e acho que isso é uma coisa importante de dizer: minha vida não é maravilhosa, a de ninguém é, mas eu escolhi registrar aqui só a parte boa dela. Porque essa é a parte que mais importa.
Talvez seja por isso que eu não fale tanto assim sobre mim, sobre minha vida. Eu não tenho boa memória, tenho certeza absoluta que faltam gavetas no meu cérebro. Mas os grandes marcos da minha vida, positivos ou negativos, eu sempre vou lembrar.
Isso aqui é tipo uma terapia, é quase como se obrigar a transformar uma coisa pequena em um post, em um texto. E daí essa coisa pequena fica maior, vira importante. Algo que podia ter passado em branco, mas não passou. Dar valor a essa pequenas coisas é algo que o blog me trouxe, é o que eu mais gosto de escrever sobre. Acho que a vida é feita de memórias e lembranças e o meu blog é uma tentativa de colocar isso tudo em uma caixinha bonitinha cheia de coisas boas.
Vou terminar toda essa divagação dizendo: nossa, que confuso.

Momento não sentimental: todos os posts do blog anteriores a uma certa data (que eu ainda nem descobri qual) estão com as imagens dando pau (?). Isso é porque o Photobucket, o site que eu usava pra hospedar as imagens, decidiu que ia começar a cobrar se você quer usar as fotos em outro lugar que não seja o próprio Photobucket. NÃO FAZ O MENOR SENTIDO mas eu já tive meus cinco minutos de ódio real disso. Eu me recuso por princípio a pagar por uma coisa dessas. Então o que eu estou tendo que fazer é voltar em todos os posts e reenviar as imagens, uma por uma. NUM BLOG QUE TEM 6 ANOS E MAIS DE 600 POSTS PUBLICADOS. Talvez eu consiga terminar isso até 2023. Enquanto isso ESTAMOS EM REFORMAS, DESCULPEM O TRANSTORNO. Ah, se alguém tiver um hack de como sair dessa cilada eu ficaria muito agradecida.

Voltando ao momento sentimental: a Lu Vilha me lembrou que hoje era niver do blog porque ela provavelmente roubou as gavetas que faltam no meu cérebro e tem uma memória fenomenal e fica aqui meu agradecimento <3
Enfim, gente, obrigada por se interessarem pela minha caixinha!
É NÓIS \o/

desenhos

10 de julho de 2017
Eu não tenho dica nenhuma de desenho e nem sei como cheguei aqui. Não nasci com nenhum dom e acho isso bobagem. Não acho que eu desenho bem e não me considero nenhuma artista, mas sempre gostei de desenhar. E acho que tá aí minha dica: treino. Desenho desde pequena e tô sempre com um lápis na mão. Faço várias bostas até alguma coisa sair decente. Meu caderno de desenhos é 90% horrível, 9% razoável e 1% bom.
Esse é um dos que considero bom, comparado com outras coisas. Eu ainda preciso aprender a fazer cabelos.
Desenhar olhos é minha maior obsessão: me dá uma folha e um papel e vou começar por aí. Antes achava a parte mais difícil mas com o tempo fui aprendendo e hoje acho que faço muito bem olhos. Agora só falta todo o resto hahaha.
Catei também um desenho meu de um post lá de 2012, quando eu não sabia aquarelar e não tinha a menor noção de proporção/qualquer coisa. Tá aí uma prova de que é só treinar que a gente melhora. Na época eu achava isso aí bom. Acho até adorável esse desenho feinho, mas com toda certeza melhorei muito nesses 5 anos. O que eu piorei foi como blogueira. Alguém lembra da época em que eu me prestava a colocar bordas arredondadas em todas as fotos? Bons tempos.
Ó outra comparação. O desenho de cima tem pouco mais de um ano (acho) e o de baixo é desses dias. Não tô dizendo que tem uma grande diferença, mas acho o recente bem melhor, mais realista e suave, sei lá. Vivendo e aprendendo.
Eu considerei durante meio segundo fazer um tutorial de caligrafia aqui no blog, mas aí percebi que sou muito ruim ainda e não saberia explicar nada. Quando aprender mais, prometo tentar ensinar aqui :)

junho 2017: o que teve

4 de julho de 2017
"O que teve" é um post mensal onde conto o que aconteceu naquele mês :) Clique aqui para ver outros posts da categoria. Cês me seguem no instagram?
Aqui em Porto Alegre choveu basicamente junho inteiro. Esqueci minhas plantinhas na chuva e os vasos viraram mini piscininhas: quase assassinei todas elas. As pimentinhas amaram a chuva e pela primeira vez renderam alguma coisa: 3 mini pimentinhas. Dá até pena de usar.
Só teve duas baixas, mas o resto sobreviveu depois de uns dias em recuperação. Também comprei esse sapato lindo aí.
Em junho também teve o dia fabuloso que meu amigo Cadu fez pizza caseira no forno a lenha para todos nós. Teve até pizza de nozes e damasco, gente. Nunca comi uma pizza tão boa e todas vez que como alguma coisa penso que podia ser essa pizza e nunca fico satisfeita. Exceto esse knodel que minha mãe fez. Meu nicho extremo culinário é comida polonesa e knodel tá na lista das coisas que mais gosto :)
Uma coisa bem legal que aconteceu esse mês foi que gravaram um programa de culinária na minha cozinha. Minha casa virou set de filmagem, tinha uns 15 marmanjos com câmeras e equipamentos andando por aí e eu fiquei até meio desnorteada. Eu não tô tentando fazer mistério e se não conto pra vocês qual o programa e quando sai é porque eu não sei mesmo. O chef é um amigo da minha mãe e eu não me envolvi muito, mas quando tiver mais informações prometo contar aqui. Vai ser muito emocionante ver minha casa na televisão, eu sempre soube que ela tinha potencial hihihi.
Ah, em junho também aprendi a fazer guioza e devo ter feito umas 10 vezes. Sempre que aprendo uma coisa nova fico refazendo até masterizar porque sou maluca.
Teve também o dia que a gente foi visitar minha avó e ela nos mandou em torno de 150 bergamotas. Eu não tô brincando. E aí que a gente fez milhões de coisas com as bergamotas, uma delas esse bolo lindo.
Falando em Pipe, teve muitos casulinhos. Quando começa a esfriar ele começa a fazer umas cabaninhas com qualquer paninho que ele encontra. É fofo demais. Fui também nesse restaurante todo colorido e visitei o arqui-inimigo do Pipe, Muruka.
Junho foi um mês meio furreca, se é pra ser sincera. Julho vai ser melhor :)

what's in my bag #4

20 de junho de 2017
Esses dias estava dando uma arrumada na bolsa e aproveitei para tirar umas fotos do que carrego.
Já fiz what's in my bag outras vezes aqui no blog: aqui, aqui e aqui. Adorei voltar lá nos posts antigos e ver o quanto eu fui de pessoa super organizada pra pessoa caótica. Carrego comigo menos da metade de coisas do que carregava em 2012 e, diferente de antes, que tinha compartimentos pra tudo, agora tudo fica jogado dentro da bolsa. Rola aquele mini pânico de que algo estoure e estrague todas as outras coisas mas estou ok com isso. Não tenho mais paciência pra carregar bolsinhas separadas com mil maquiagens que finjo que vou precisar/retocar. Acho que nunca na vida retoquei maquiagem e cada vez uso menos no dia-a-dia. 
Na bolsa levo celular, óculos, livro (kindle meu pastor nada me faltará), caderninho para anotações, carteira, escova, álcool gel, creme para as mãos e listerine - meu mini kit de sobrevivência. Até a carteira diminuiu de tamanho, é essa dourada no cantinho - dentro só tem o cartão, documento e dinheiro. A escova, também dourada, é aquela Tangle Teezer, mais uma ~jogada de marketing~ que eu caí por culpa das blogueiras de beleza (eu culpo a Dia de Beauté). Ela supostamente ~desembaraça~ sem quebrar o cabelo e custa uma pequena fortuna. O que eles não me avisaram é que só serve pra quem tem meia-dúzia de fios, a bonita aqui que tem sete quilos de cabeço que chegam quase na bunda tem que ficar duas horas penteando e mesmo assim não desembaraça tudo. Carrego comigo só pra odiar com propriedade e poder falar mal dela toda vez que eu tenho que pentear os cabelos. O Kindle carrego nessa bolsinha pra não arranhar. O óculos é um aviador da Ray-Ban, meu modelo favorito.
A bolsa também é metade do tamanho que usava antigamente. Essa bolsa é a bolsa mais linda que já tive. Lembra que contei que fiquei obcecada atrás de uma bolsa igual a uma que eu tive? É essa. Aqui foto da anterior. É tipo exatamente a mesma bolsa. Só que essa é uma Cambridge Satchel original, ainda que a prima pobre, porque é da coleção da Melissa :) Custou 300,00, o que extrapola em exatas 3x o preço que acho que qualquer bolsa vale, mas I'm not sorry, gente, olha essa belezinha. Sim, eu recém adquiri ela e ainda não superei a lindeza toda.
Tecnologia do Blogger.
Back to Top